Grupo Conviva

A influência do ambiente na Doença de Alzheimer

O ambiente exerce uma grande influência no comportamento, humor e até na capacidade cognitiva do indivíduo que possui Alzheimer. Portanto, é muito importante que os cuidadores atentem-se para criar um ambiente adequado e favorável para aquele quadro.

Organização

A organização do ambiente é fundamental para auxiliar no controle da confusão mental e de manifestações comportamentais como ansiedade e agitação e, portanto, o ambiente deve ser o mais acolhedor e tranquilo possível, com o mínimo de situações que possam ser interpretadas como ameaçadoras pelo idoso.

É importante que o local seja livre de ruídos e barulhos e seja bem iluminado, mas não de forma tão forte que chegue a incomodar a visão, sendo interessante existir um equilíbrio entre a luz natural e a artificial com o passar do dia. Dentro do possível é importante regular a temperatura do local e sempre permitir a entrada de ar fresco.

É crucial que o ambiente seja limpo e que os objetos e mobiliário estejam distribuídos de forma a não atrapalhar a passagem do idoso. Além disso, em casos mais avançados, quadros nas paredes e espelhos devem ser evitados, pois podem levar o idoso à maior confusão ou até alucinação. Evitar mudanças drásticas e repentinas nesse ambiente é mais um fator importante, pois o idoso pode estranhar e perder seu referencial. Outra estratégia bastante eficiente é etiquetar gavetas e armários, pois assim o idoso consegue ter mais autonomia e encontrar o que deseja.

Localização afetiva, de tempo e de espaço

Para indivíduos com Alzheimer, é muito importante que o ambiente ofereça referenciais que o auxiliem a se orientar no espaço e no tempo. Dessa forma, a primeira recomendação é que exista um calendário à vista do idoso em um local que ele esteja várias vezes por dia, e o ideal é que o calendário seja grande e bem visível. Além disso, sempre que possível, o cuidador ou familiar deve recordar em voz alta aquela data, estimulando que o idoso a repita. O mesmo vale para relógios, assim como é possível relembrar com frequência as estações do ano ao contemplar o clima do lado de fora.

Além disso, enfeitar o ambiente próximo às datas comemorativas pode auxiliar o idoso a se situar naquela época do ano (exemplos: carnaval, páscoa, natal etc).

É extremamente importante que o indivíduo interaja com o ambiente em que ele está inserido. Assim, outra estratégia que pode ser utilizada é a estimulação olfativa, ou seja, proporcionar naquele ambiente cheiros que possam integra-lo naquele espaço, como aroma de comida próximo ao horário das refeições, o aroma do café logo pela manhã, o aroma de flores, entre outros. O mesmo vale para o visual, sendo importante o ambiente conter objetos familiares ao idoso, assim como retratos de pessoas queridas; e para o auditivo, sendo importante tocar músicas agradáveis ao idoso em momentos de contemplação, escutar o som da chuva, o som da panela de pressão próximo ao almoço, entre outros.

Segurança

Em qualquer local, a segurança do idoso deve ser prioridade e, para isso, é necessário que o cuidador, de forma bastante sutil, sempre esteja atento ao idoso, e além disso algumas medidas básicas devem ser tomadas. São elas: retirar tapetes e outros objetos que possam contribuir para a queda; utilizar tapetes anti derrapantes no box; utilizar barras de segurança nos banheiros e em corredores muito longos; se houver escadas na casa, ela deve ser bem iluminada e com corrimão em ambos os lados; trancar portas que possam dar acesso à locais perigosos; deixar a chave do carro em local de difícil acesso; fazer com que o idoso sempre leve consigo um documento e anotação com telefone para emergências.

Sobre o Autor Ver todos os posts Autor

Rebeca Caldeira

Rebeca Caldeira

Bacharel em Gerontologia pela Universidade Federal de São Carlos. Mestranda em Gerontologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas, onde desenvolve pesquisa com cuidadores de idosos também idosos. Especialista em Estimulação Cognitiva para idoso pelo Instituto Pinus Longaeva. Capacitada para ministrar Dança Sênior pelo Instituto Bethesda. Atualmente, desenvolve trabalho como gerontóloga no Conviva Day Care, em Indaiatuba.

2 ComentáriosDeixe o seu comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *